PERITO ENTENDE QUE O BANCO SAFRA LITIGOU DE MÁ-FÉ

Em 2006, 3G Comercio de Calçados e Confecções LTDA Epp, ajuizou ação contra o Banco Safra para rever os contratos assinados em branco sobre Antecipação de Recebíveis no Carão de Credito. processo N° 00458745020068260114

Já na faze para atualizar os valores de todos os contratos, o Juiz Dr. Fábio Henrique Prado de Toledo da 2° Vara Civil nomeou o perito Sr. Wagner Renato Ramos.

Em 15/09/16 foi juntado pela serventia (entende como Banco Safra), uma peça pag. 1101 onde o mesmo perito Wagner Rento Ramos DECLINANDO da nomeação, porém, esta peça é de outro processo: Rte: Nortel Suprimentos Industriais S/A processo n° 00623271320128260114

Em 16/11/21 o perito Sr. Wagner Renato Ramos declara nas fls. 1306 o que segue:

……. “consultando agora o feito, pode-se entender que eventualmente o Banco requerido litigou de ma-fé, induzindo os Senhores desembargadores o erro, vez que a peça de fls. 1101 em que se baseou para o referido agravo não se tratava do presente processo, pois foi juntado erroneamente pela serventia, o que justificou o seguimento dos trabalhos periciais e não por outro perito.”

Segue anexos:

Fls. 1306 (16/11/20) Perito Wagner Renato Ramos entende que o Banco Safra litigou de MÁ-FÉ

Fls, 1307 (05/07/21) Juiz Dr. Fabio Henrique despacha abrindo prazo para as partes se pronunciarem, e reconhece que o reclamo deva ser formulado a superior instancia……

Fls. 1101 (12/09/16) perito Wagner Renato Ramos supostamente DECLINA da nomeação, peça estranha ao processo da 3G comercio de Calçados, Rte: Nortel Suprimentos Industriais S/A.

2 caso

2° Vara Cível da Comarca de Campinas, processo n° 0046426-15.2006.8.26.0114 Juiz Fábio Henrique Prado de Toledo

“… Ora se houve preenchimento abusivo, inarredável é a conclusão de que houve má-fé…”

“Também não há obscuridade no tópico da sentença em que se determina a redução da taxa de juros á de mercado. É consideravelmente destoante dessa a taxa aplicada. Isso, somado ao abusivo preenchimento de instrumento contratuais assinados em branco, impõe a redução das mesmas, como apontado na sentença.”

Sentença na integra da 2° vara cível de Campinas.